Segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2010

 

Não seria bom deixar de ser um parasita? Deixar de precisar das pessoas quando não conseguimos viver em sociedade. Andar de carro pela cidade assistindo à selva nas famílias, nas relações interpessoais hetero e não-hetero enquanto te gabas de não precisar de ninguém.
- Então, porque persegues crianças e famílias que julgas que não são felizes? Porque julgas casais de namorados que só estão apaixonados e nunca ligarão ao que falas?
- Não és feliz, pois não? Assim, a viver assim. Assim, como só tu.
Talvez não saiba o que é ser feliz, talvez veja só através e não profundo, não tontamente. E sabe dizer: não chegarão longe. Terão muitos filhos, mas isso não significa chegar longe.
- E a mim, o que vês? O que vês?
- Não te vejo porque fácil como tu, nunca achei. A tua vida não será complexa, carambas. A tua vida é um caminho recto. Tu és um parasita. Vamos. A tua vida não é isto.
É isto.


publicado por Tim. às 20:44 | link do post | comentar

Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


arquivos

Julho 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

--